A GRANDE Tag Musical

Hi, Hey, Oi, Ciao, Bonjour … Halo My Friends

a-grande-tag

Depois de muito tempo, motivações e muita preguiça acumulada, resolvi gravar um vídeo de uma tag que fiz. A tag eu peguei do blog da Melina Souza pois achei ela muito fofinha e muito significativa pois: é música que estamos falando, e eu amo música.

Vou contar um pouco da minha história com música.

Meu pai é baterista e já foi músico, quando tinha seus 20 e poucos anos ele tocava numa banda na cidade onde foi criado: Videira. Minha mãe é/era pianista, pois por muito tempo tocou piano mas faz muito tempo que não toca também (agora ela está tocando pois temos um piano em casa e ás vezes ela vai lá). Minha vó tem um piano em casa devido a minha dinda, durante um tempo, ter tocado piano, e foi nesse piano que tudo começou.

Quando eu era pequena eu gostava muito de ouvir MPB pois era as músicas que meus pais ouviam, e gostava de ouvir meu pai tocar bateria. Um dia minha mãe estava tocando piano e começou a me ensinar, me dando algumas aulas, e foi ai que me interessei por música. Eu devia ter uns 7 anos de idade quando ela me ensinou onde ficava cada nota, e depois foi me ensinar minha primeira música: Capricho Italiano de P.I. Tchaikovsky, e foi assim que comecei a desenvolver esse amor pelo piano, porém eu não tinha piano em casa, então só podia tocar ele quando estava na casa da minha vó no Rio Grande do Sul. Então outra paixão veio: cantar.

Tudo começou com a série da Hannah Montana, eu realmente achava que um dia iria virar uma cantora ou que a Miley iria passar o legado dela para mim (nesses momentos que você fica pensando o que você tinha na cabeça, mas enfim) e com isso eu cantava todas as músicas com ela. Meu pai me deu meu primeiro microfone e meu primeiro pedestal e foi ai que eu comecei a cantar. E paralelo a isso surgiu a vontade de aprender inglês (pela paixão mesmo da música e da língua), que até hoje amo falar e ouvir a língua.

E com isso fui moldando um gosto meio brasileiro por causa do MPB, já que quando pequena ouvia Maria Rita, Tim Maia, Jorge Ben Jor, e comecei com Hannah Montana até se ramificar em diversos gêneros como: Rock, Pop, Jazz, um pouco de Puck, Reggae, Clássico, muito gêneros e foi assim que eu comecei na música. Ainda tenho sonho de cantar pelo menos uma vez cantar em bar, ou na rua mesmo, e de entrar num estúdio e gravar minha própria música.

Ahh, e outra, minhas primeiras aulas de piano vão ser esse ano, tudo que aprendi foi por conta própria (e olha que músicos já vieram aqui em casa e falaram que eu tenho futuro kkk), e foi tudo por eu ter ouvido para essas coisas, eu realmente prezo por um som bom, mesmo que custe mais caro. Nada adianta tem altos amplificadores, caixas e mesas de som se o som não sai nítido, claro e confortável. O volume pode sair super alto mas o som é ruim, é uma coisa que apavora a minha pessoa.

E esse ano quero aprender a tocar bateria e violão também.

Acho que isso é um pouco da minha história com a música, então vou colocar o vídeo aqui.

A GRANDE TAG MUSICAL

1. Gênero favorito?

2. Banda ou cantor(a) mais ouvido(a) no momento?

3. Música preferida no momento?

4. Três artistas favoritos?

5. Aquela banda para qual você sempre volta?

6. Trilha Sonora de filme favorita?

7. Música preferida de todos os tempos?

8. Último show que foi?

9. Música mais vergonhosa no computador, celular, itunes?

10. As três músicas mais tocadas de acordo seu player?

11. Que música sempre te faz sorrir?

12. Que música você ouve quando está triste?

13. Que música te faz dançar?

14. Bandas e cantores desconhecidos que você indica?

15. Letra ou citação preferida?

16. Que banda, cantor(a) ou música te lembra de alguma situação específica?

Um beijo, um queijo e um macarons para vocês.

Anúncios

Um pouco sobre a (minha) vida.

Hi, Hallo, Oi, Bonjour … Halo My Friends

galaxy-2.jpg

Eu só queria pedir mil desculpas, pois não tenho postado nada já faz algum tempo, e não é porque eu não quis, mas simplesmente estava numa fase tão ruim da minha vida que tudo (até o colégio) eu tive que trocar. Bom, primeiramente, eu me mudei de Curitiba, sai da casa dos meus pais e vim morar com meus tios e minha prima. Mudei de colégio para uma experiência diferente (do particular para um estadual), pois tudo estava me fazendo infeliz naquele lugar: estudar, amigos, inimigos, boys, professores… Enfim eu precisava de um lugar que me deixasse feliz novamente. Sem contar que a situação lá em casa não estava das melhores, e percebi que tanto eu quanto meus pais precisávamos de um espaço para organizar a cabeça.

E então, em um dia do final das minhas férias – já tinha pensado em tudo: mudar de colégio, economizar nisso ou naquilo, tentar me focar nos estudos, e nada de mudar – cheguei para a minha mãe e falei: Mãe, e se eu fosse morar com a Luana?, dai foi indo, falei com a tia, com a Luana, com o tio, pedi opiniões de outros, arrumei as datas, estudei para as provas, faltei bastante no colégio, e em 1 mês e pouco depois eu estava arrumando as malas para ir para Goiás, Santa Helena de Goiás, interiorzão.

Se estou melhor? Estou. Estou feliz, estou com amigos mais velhos, tenho amigos da minha idade, estou saindo mais, virando mais responsável, pensando mais na vida e organizando ela. Claro que o intuito no começo era apenas fugir, mas logo comecei a receber responsabilidades e deveres que eu não possui e conviver com novas regras. E vi que é difícil começar algo novo, meio que do zero, mas ao mesmo tempo você vê que a vida tem seus altos e baixos, que num momento você pode estar se achando forte e no outro você esta chorando as escondidas. Claro que você não quer, claro que você acha que é forte, mas numa hora você não aguenta, ainda mais quando um turbilhão de coisas vão acontecendo e mudando junto aos seus pensamentos, e logo você precisa de alguém para desabafar, e essa pessoa logo te fala: você está amadurecendo, e meio que você começa a enxergar o mundo de uma maneira diferente. Começa a ver que aquela coisa que tinha tanto significado para você dias atrás, não tem mais nada agora. E isso pode acontecer com qualquer um, pois no momento que amadurecemos percebemos coisas que julgávamos estúpidas e sem significado virarem coisas concretas e significativas em nossas vidas. Pode ser um livro, uma pessoa, uma foto. E logo você começa a ter um melhor conhecimento de mundo, uma visão mais adulta do que está acontecendo com você, e o melhor é que nesse momento começamos e pensar em maneiras para sair disso, em soluções.

No exato momento que comecei a escrever isso não tinha esse intuito, mas ontem estava tendo uma discussão sobre isso, que a vida não é um conto de fadas, ela é um livro, e como em todo livro você ter as ápices e as depressões. Mas o melhor de tudo isso é quando você começa a reler o que escreveu, e refletir, pensando no que pode escrever nas próximas páginas, e bem, enquanto está fazendo isso, você já esta escrevendo alguma coisa, e tudo vira um ciclo. Então na nossa vida temos risadas e choros, temos decepções e superações, arrependimentos e orgulhos, são os nossos altos e baixos, e bem, o melhor de tudo isso é que você é o autor.

Felicidades Antigas

Oi, Bonjour, Ciao, Hi, Cio … Halo My Friends

child.jpg

Bom, primeiramente FELIZ DIA DAS CRIANÇAS! Ficou meio grande pois me empolguei, desculpa. Estava aqui refletindo um pouco sobre a vida (novidade) e realmente estava lembrando de tudo que me aconteceu na infância, não que eu seja velha ou coisa do tipo: EU TENHO 15 ANOS, mas me faz refletir algumas coisas. A começar pela tecnologia, bem, quando eu era menor eu morava em uma cidade mediana (BLUMENAU – SC), e não me preocupava em ter ou não ter, não sabia o que era um computador e batalhei hard para o meu primeiro celular, lembro que no colégio eu brincava de amarelinha mas tínhamos uma tv para assistir um desenho, que era a coisa que eu mais gostava. Meu quarto era cheio de brinquedos e meus pais tinham tempo para fazer festinhas e pegadas do coelhinho na páscoa. Eu lembro de chegar da escolinha ( saudades Princesa Izabel) toda sorridente e rindo, ligar a tv, colocar no Disney Channel e ser feliz na vida. Meus pais se divertiam comigo e não se importavam se a gente morava numa casa pequena ou grande, apenas queriam que fossemos uma família feliz.

Lembro das brigas que tínhamos, e das teimosias que eu apresentava: quando eu não queria vestir alguma coisa, eu não vestia. Inclusive tem uma história engraçada sobre isso que resumida fica assim: estava chovendo e minha mãe falou para eu vestir um casaquinho azulzinho do Popeye, que eu odiava (até aquele dia), e eles so sairiam se eu colocasse, eu teimei, teimei e teimei, e nada de colocar o casaco. Eles entraram dentro do carro e foram, eu fiz o maior escândalo quebrando até óculos escuro que eu tinha e falava que ia chamar a polícia (que na verdade era minha vó) e então meus pais voltaram, eu entrei no carro chorando e minha mãe fez eu vestir a roupa, eu não vesti, a minha mãe jogou o casaco pela janela e eu chorei mais ainda, pq eu queria usar naquele momento, eu me joguei do carro (que não estava nem andando direito) e peguei o casaco da rua molhada e vesti. Para você ver a teimosia.

Criança é uma fase que você quase não aproveita, pois inveja os adultos e quer logo crescer, mas digo, que a minha infância foi muito legal: eu construi uma casa na árvore com meus amigos (sim, não deu certo, e, beijos Otto e Yuri), escalei árvores e acampei várias vezes em parques. Tive minhas cabanas de lençol e meu primeiro console foi um Super Nintendo. Me sujei no barro das obras das casas que minha tia arquitetava (Beijos Tia Ana), e lá também, brincava de personagens inventados por nós (onde eu era a Mulher Batom, que atirava batons nas pessoas, o Yuri o Homem Estrela, que atirava estrelas, e o Otto era o Homem Pimenta, que fazia algo relacionado a Pimentas, que eu não lembro exatamente o que era, e quando minha prima se juntava, ela era a Mulher Maquiagem, que atirava maquiagens nos inimigos). Subi em muros altos, e fiz percursos neles pela casa que tínhamos. Aprendi a andar de bicicleta e me sentia o máximo, almejando o final de semana para ir ao parque. Tive vários gatos e cachorros, tive pintinhos, coelhos e tartarugas também (graças a minha vó que me deu pintinhos e um coelho). Desci morros de Rolimã, ou de Skate. Ralei meu joelho várias vezes, rasgando algumas roupas no caminho. Sofri Bullying quando o Bullying não era crime. E ainda por cima brinquei de arminhas de água e guerra de balões de água quase toda semana.

Fui batalhar meu primeiro celular quando tinha uns 7 anos, lembro que era um tijolo e tinha jogo da cobrinha, mas eu não me importava. Brincava de Bafo no colégio para trocar as figurinhas dos meus álbuns almejados. Trocava cartas de Pokemon com os amigos também. Montei um balanço uma vez nas árvores e pegava goiaba do pé. Joguei bets na rua, poucas vezes, mas joguei. Não me importava com o que não tinha, mas sempre fui pidona (sempre com a palavra querer na boca). Lembro que ganhei meu computador, aqueles grandões mesmo e nem usava direito, acho que tinha uns 6/7 anos quando ganhei um notebook do meu dindo (obrigado Dindo) e jogávamos Priston Tale nele, fazendo jogatinas de madrugadas em claro, cada um num computador (lembro que eu e os meninos usávamos o notebook, usavam um da mãe e usávamos a tela da tv com a cpu que tínhamos). Lembro de ir em lan house para jogar alguns jogos quando ia a Videira. Lembro também de alugar vários DVD para poder ver filme. NOSSAAAAA LEMBREI DE OUTRA COISA: A gente tinha um clubinho em cima da casa da Tia Ana, que para subir precisávamos escalar um muro de uns 3 metros, eu lembro que era baixinha demais e não alcançava o pé, e os meninos me ajudavam.

Bem, vou parar por aqui porque a coisa está ficando grande. Eu não me arrependo de nada da minha infância, reviveria ela novamente do mesmo jeito, porque nada melhor que se sujar com carvão enquanto escreve na calçada, ou jogar futebol de sabão, OU DORMIR NUM LUGAR E ACORDAR NO SEU QUARTO (MELHOR COISA). Se fossem pedir a minha opinião quanto a criançada hoje em dia eu falo mesmo: eu posso não ser da geração dos meus pais, que não tinha nem internet (porque eu tinha internet, mas nem usava e era ruim) nem nada, mas posso dizer que vivi entre a evolução da tecnologia mas tive um pouco da realidade da infância dos meus pais, mas hoje em dia, vejo que as crianças que tem 2 anos e tem celular na mão, pedem o celular dos pais para ver coisas na internet, e os próprios pais levam um banho por os pequenos saber mais que eles. Acho que a criançada vai ser meio mimada demais, e bem, cada vez menos realmente vão saber o que e cair na lama e desejar mais, ou andar de bicicleta e ralar o joelho num parque. Então eu posso dizer: FELIZ DIA DAS CRIANÇAS AO MEU EU PASSADO, E FELIZ DIA DAS CRIANÇAS A TODOS QUE AINDA TEM ESPIRITO DE CRIANÇA, E FELIZ DIA DAS CRIANÇAS AOS PEQUENOS DE HOJE EM DIA. 

Aniversário do Blog: Ano 1

Hi, Hello, Bonjour, Ciao, Cio, Hallo, Oi, Ola, Hey… Halo My Friends

pow

Voltando as antigas… Hahah

Hoje, finalmente, estou aqui para poder agradecer vocês. Como assim? Bom, 1 ano e 8 dias atrás (dia que estou escrevendo é 12/02), eu e minha prima começamos este blog que foi tão inesperado e ao mesmo tempo tão planejado. Eu me lembro de termos começado a idéia inda em Ipatinga- MG e que foi bem perto do aniversário do nosso primo e da minha mãe (entre 25 e 28/01) e então começamos a pensar em nomes, logos, layout e muito mais. E depois de mais ou menos uns 10 dias ou menos, conseguimos sair no resultado imaginado e eu fiquei lisonjeada em fazer parte.

Então, lá estávamos nós, duas garotas de Curitiba, uma prestes a se mudar e a outra na casa dela pois estava de férias, que no caso desta última era eu, criando um blog no qual não acharíamos que iria dar certo. Eu me lembro como se fosse ontem, a Luana falar que o blog estava demais e tudo mais. Postou o 1 post, era as saudações e logo em seguida, escreveu sobre um herói de quadrinhos que uma pessoa de Curitiba tinha criado. E também lembro de me falar por FaceTime ou WhatsApp (não me lembro exatamente) que queria seguir com seu blog que já existia o Interligados com o Mundo, eu na época fiquei muito arrasada, mas continuei com a ideia do blog e postei meu primeiro post, exatamente no dia 04/02/2015, e bem, é isso que o blog informa então vamos acreditar. E eu lembro exatamente da pessoa que eu era quando escrevi aquilo: eu estava totalmente insegura com o fato de começar algo novo, estava com medo de chegar no colégio e zoarem de mim, enfim, foi por esse motivo que eu fiquei guardando segredos dos meus amigos até depois do meu aniversário.

E bem, no começo eu não tinha nenhuma expectativa, e ele foi crescendo, crescendo e hoje, eu vejo ele como uma porta para a garota que eu era e a garota que eu sou. Em 1 ano, eu mudei. Mas não é isso que eu quero falar, é sobre o blog. Continuando. Logo veio o segundo post (que tenho que agradecer a Cecilia de 1 ano atrás pois posso me orgulhar dizendo que é de The Walking Dead), o terceiro, o quarto, enfim, so tinha as views dos meus parentes, e depois de uns meses, começou a subir os views, e por algum motivo, mesmo querendo no começo, eu não parei de postar, e comecei a ganhar mais views e fiquei cada vez mais orgulhosa de mim mesma. Em 1 ano, o blog conseguiu ter um conteúdo razoável e bem, mais views e pessoas do que eu imaginava. Então, exatamente no dia 29 de dezembro eu tomei a iniciativa de criar o canal: NerdeekQueens o canal no qual estou bem orgulhosa também, então obrigada a todos por fazerem esse sonho virar realidade, e que em 2016 possa me trazer mais orgulho do que tive em 2015, saibam que cada view era uma comemoração.

O que eu tenho que fazer é agradecer, no ano de 2015 foram: 1.399 views, 730 visitantes, 12 curtidas e 17 comentários, 42 posts e 120 seguidores e hoje, contando tudo (2015 e 2016) são 1.869 views, 984 visitantes, 14 curtidas e 17 comentários, 44 posts (contando com esse 45) e 131 seguidores no total, então o que posso é agradecer, daquele jeitinho…

Um beijo, um queijo e um agradecimento para vocês.

 

Star Wars – The Force Awakens

Hi, Hallo, Cio, Ciao, Oi, Ola … Halo My Friends

o desperta da forca.jpg

51 dias após a compra e finalmente chegou esse dia tão esperado por mim e muito fãs de Star Wars, mas temos todos uma grande pergunta: O que realmente esperar desse novo filme. Vamos fazer uma análise dos trailers e das informações que podemos obter.

  • Review

montagem rey, fin e kylo.pngBom, sabemos que o Finn e a Rey são os novos heróis que J.J Abrams quis para inovar no Star Wars. Mas o que será que esses novos personagens poderão ter de ligação com os antigos personagens? A minha opinião é: Kylo Ren pode ser filho do Luke porém ingressou o lado negro da força. Ou Kylo Ren pode ser filho de Han e Leia, que ingressou o lado negro. A Rey é filha da Leia e do Han porém não sabe ainda e quando encontrar o Han vai realmente saber quem é. Ninguém é filho de ninguém, o Finn é um Stormtrooper que achou um sabre de luz e quer lutar contra o Kylo e a Rey tem aquele bastão que pode ser duas coisas, um sabre de luz lança ou um bastão elétrico de Phrik. Resumindo ela é uma jedi que não tem o domínio da Força ainda. Ou ela é apenas uma catadora de lixo mesmo.

luke e r2.pngMeu deus, cadê o Luke nessa história? Esse é o real mistério, um dos personagens mais aclamados pelos fãs não aparece no trailer e nem nos teaser, é um problema. Mas o próprio Mark Hamill afirma que estará la no filme, então podemos também ter outra teoria: ele é um mestre jedi e tem sua academia jedi, procurando sempre novos jedis pela galáxia. Porém na sua expedição meditacional pelo planeta Jakku sente um distúrbio na força, e então acha o que o Império de formou: A Primeira Ordem e então todos vão para lá guerrar, mas todos os novos personagens não sabem das histórias que se passaram antes do “O retorno de Jedi”. E também em um dos primeiros trailer mostra R2 recebendo carinho de uma mão robótica, o que podemos pensar é que é a mão de Luke, mas também fala no exato momento a frase “São reais”, então podemos deduzir que ou as história do que aconteceu são reais, ou que os Jedis são reais.

  • O que já sabemos?

r2, 3po e bb-8Já sabemos que vão ter novos personagens, design novos de nave como X-Wing e Tie Fighter. A Rey é uma personagem que não tem família e nem sobrenome (como a própria Daisy revelou alguns dias atrás), o Finn é um stormtrooper que se junta a Rey, ou será que só estava disfarçado? O BB-8 é um droide que está acompanhando Rey em todos os lugares que ela vai e logo irá conhecer os nossos droides queridos: R2-D2 e C-3PO, será que a cena em que está se escondendo não é porque está com vergonha de conhecer os dois (porque como sabemos os droides tem personalidade, o R2 é destemido e aventureiro enquanto 3PO é medroso e nunca sabe o que está acontecendo), ou será que ele está numa missão secreta com a Rey?

rey
Sabemos também que a Leia não é mais Princesa, e sim General: General Leia Organa Solo. Mas, e o Luke? É Mestre Jedi? O Han ainda é um contrabandista ou largou esses meios? Quando que ocorrerá esse reencontro entre os novos e os velhos personagens? Creio eu que vai ser pouco antes da batalha que irá acontecer, onde Han, Luke, Leia e Chewie irão chegar para proteger os dois personagens. Será que o Finn é um jedi, ou tem laços Jedi com alguém? Pois em um dos últimos trailers ele está usando um sabre de luz azul, muito semelhante ao de Anakin/Luke do episódio V, mas sabemos que este sabre foi perdido na Cidade das Nuvens, ou talvez não, foi achado anos depois ou algo do tipo? Mas a intimidade de Finn com o sabre não é tão grande assim, mostrando indícios que estão tentando nos enganar.

rey e bb-8Os acontecimentos ocorrem 30 anos após “O Retorno de Jedi” porém vemos claramente uma drástica mudança de atmosfera entre esse tempo. Sabemos que o resquício do Império não é o mesmo, até porque parece ser uma Primeira Ordem baseada no Império. O planeta onde suportamente tudo irá acontecer é o planeta de Jakku, pois é onde BattleFront acontece (e sabemos que BattleFront é a história canônica nova do universo, ou seja, oficial).

han e leia.pngAinda no trailer vemos que Leia está sofrendo por alguma coisa, estaria ela preocupada com Luke? Ou com os novos personagens? Ou até mesmo por algum acontecimento ruim? Porém tem algumas deduções que Rey estaria chorando em cima de Chewie então será que Leia e Han estão sofrendo por Chewie?

rey e finnFinn também pode ser um personagem que virou para o lado da Resistência, o que explicaria ele estar no mesmo cenário da Resistência se preparando para uma possível batalha. Mas quem pode ter levado Finn a Resistência pode ter sido a Rey, que em um dos trailers oferece a mão a Finn para este poder levantar, porém ele vai meio relutante.

han, rey, finn e bb-8.pngOutra coisa é a “Cidade de Bandeiras” que Finn, BB-8, Rey e Han estão indo, Han parece bem familiarizado com o lugar, agora Rey e Finn estão olhando para os lados e dando uma olhada no lugar, o que deixa-nos acreditar que é um lugar novo para eles.

nova estrela da morteOutra cena é o de Kylo dentro de um painel de controle, o que poderia indicar ser a Nova Estrela da Morte, e que explicaria “I’ll finish what you started (Irei terminar o que você começou) e mostrar o capacete derretido do Vader, até porque podemos deduzir que Kylo tem uma adoração por Vader e que está construindo a Nova Estrela da Morte, já que a Segunda Estrela da Morte foi destruída antes de ser terminada. E que Kylo tem seus “Cavalheiros de Ren” porém só ele usa um sabre, então não é Sith?

han-2.jpgO que Han estaria se referindo quando fala: “Chewie estamos em casa”? Ao lugar? As batalhas? A Resistência? Ou até mesmo a Leia e ao Luke? Ou podemos deduzir que pelo lugar que estão é a Millennium Falcon?

E essas são algumas das perguntas que muito temos, pois não podemos deduzir muita coisa, pois os segredos foram guardados as 7 chaves por todos os atores e diretores, e roteiristas e todos os envolvidos. Sei que enlouqueci bastante nas deduções, mas se tiverem alguma dedução para fazer deixem nos comentários.

Não legendado

E o grande e maravilhoso trailer de Star Wars, legendado, tirei do youtube do canal Star Wars Brasil.

Notícia irrelevante para alguns: Leon e a Nilce do canal Coisa de Nerd e Cade a Chave entrevistaram a Lupita e o Oscar e viram 9 minutos do filme. Eles não podem falar nada e foram super vigiados para ver o 9 minutos, não puderam levar câmera e nem celular, e lá dentro ainda tenho pessoas com aquelas lentes da raio-x ou aquelas que veem no escuro. Mas o Leon falou que nesses primeiros nove minutos que viram ele já se emocionou e aconteceu algo muito legal, e que os caras realmente sabem fazer um bom filme.

FALTAM 12 HORAS, 49 MINUTOS E 30 SEGUNDOS. MEU CORAÇÃO ESTÁ FORA DO MEU PEITO QUASE!!! QUE EMOÇÃO!!!

Um beijo, um queijo e um café para vocês.