A rotina do amor

hi,hallo,hello,ola,oi…Halo my friends

Bom sei que o assunto tão pouco tem haver com o blog,mas tem muito haver comigo. Quando falei de texto lindos falo destes que aqui deixarei. Escrevi uma crônica ano passado, de um dia que de fato aconteceu comigo e gostaria de partilhar aqui.

A rotina do amor

fonte:we heart it

Ela acordou violentamente suando como se não houvesse amanhã,aquilo tinha acontecido mas não era a realidade.O silêncio,a escola,as roupas eram reais,ela só queria um pouco de paz .E ele.Todos os finais de semanas eram assim,acordava de um sonho muito bom e chorava por não ser verdade.Era assim todo final de semana.

Todos os fatos eram reais em seu mundo mas no dele achava que era só armação.Queria,queria muito,mas isto era diferente.Lembrou-se de o quão ele estava perdido naquele dia,do meio sorriso que botou no canto de seus lábios;isto era verdade,perguntou se poderia sentar-se ao seu lado,ele como cavalheiro aceitou.

Estava nervosa,tremendo,com o coração acelerado,coisa que só acontecia quando estava ao seu lado,ou até mesmo quando falavam dele.O silêncio reinou,e os dois ficaram olhando,perdidos,para frente,enquanto na cabeça queriam falar algo,algo que pairou um dia no ar.Uma frase rolou solta:”Você viu meu irmão?Ele esta ali em cima?”, meio frustrada e confiante a menina respondeu um não.E novamente o silêncio instalou-se entre a atmosfera dos indivíduos.”O que você ainda está fazendo no colégio?” O menino perguntou com uma certa curiosidade,recebendo a breve resposta da garota  de que seu pai não queria lhe buscar,soou retardado,mas pelo canto dos olhos  viu,que um atrevido breve sorriso no canto dos lábios carnudos dele surgiu surpreendentemente.Estava começando a ficar vermelha,algo raro quando não junto a ele.Na sua cabeça queria pedir desculpas,pegar seu rosto e beijar suas bochechas,até então vermelhas,este era seu desejo.Não foi isso que aconteceu.”Eu preciso procurar meu irmão” o moreno comentou com indiferença.A ruivinha acastanhada se ofereceu pra ajudar olhando pra ele.O choque do encontro dos olhos foi muito bom,ele se perdeu nas palavras.”Eu a-acho que ele,ele está ali,ali na f-frente” apontando para cima,em algum lugar de seu corpo aclamava pra rir junto ao gesto,não foi isso que aconteceu.Voltou-se o breve silêncio.”Falô preciso procurar meu irmão!”.Ele deu uma última olhada pra ela,os olhares se cruzaram.Já era tarde demais.

Agora era como flashes passando pela mente,os celulares rodando nas mãos,os pés mudando de posição e então…Os olhares e sorrisos que os dois em algum momento apresentaram.Um espaço mínimo entre os dois corpos,um coração acelerado.A ruiva sabia que era amor.

Um beijo ,um queijo e um presunto para vocês.

 

Anúncios

Halo -Parte I

hi, ola, oi, hallo, hello… halo my friends

Halo_4_wallpaper_by_73h_fr33m4n-d57tzzl

Eu ganhei de presente de aniversário um jogo da minha amiga, mas precisamente o Halo 3. Passei uns dias jogando, devagarinho. E logo zerei fazendo a última missão com a minha prima. Mesmo me decepcionando um pouco eu irei resenhar.

Bom, eu só joguei o Halo 1 na Luana e já tinha me apaixonado,querendo continuar. A saga de Halo é uma mistura de modernismo com espaço. E adiantando eu pulei o segundo jogo.

No Halo 3 percebi que mudou muita coisa comparado com o primogênito: Tem muito mais ação,os gráficos são muito melhorados, alguns comandos mudaram- ex.: antes para pegar a arma se apertava B(no xbox), agora você aperta RB-as armas têm uma resolução ótima,se dá para usar duas pistolas.

  • História

O jogo gira em torno de um soldado ultramente foda chamado Master Chief, ele usa uma armadura no qual o deixa com 500kg, mais vida,e indestrutível. Ele é respeitado por todos e tem um bom coração.

No passado uma raça alienígena chamada Forerunner, lutam contra um vírus denominado Flood. Ao se espalhar por toda a galáxia contaminando metade dos seres existentes na galáxia. Com uma guerra exaustiva de 300 anos, os Forerunners esgotaram suas “cartas na manga” e apelaram construindo na instalação Ark os anéis de destruição em massa chamados Halo. Ao serem ativados estas mega-construções podem destruir toda as espécies que há no universo. Viajaram e coletaram variadas espécies Alienígenas e logo eles ativaram os anéis e desapareceram.

Após 100 mil anos, século XXVI, sob comando da UNSC (United Nations Space Command, ou Comando Espacial das Nações Unidas) colonizaram vários mundos, graças ao desenvolvimento de tecnologia slipspace, que possibilitava viajar mais rápido que a luz. Um clima de tensão criou-se na atmosfera e foi travada uma guerra civil. Então a UNSC cria um exército de super-soldados conhecidos como Spartans,o objetivo seria reprimir a rebelião. Em 2525,um grupo chamado Covenant começam a ameaçar os humanos e tem início a um genocídio.

Em 2552, este grupo chega ao último reduto antes da terra, Reach, os Spartans incapazes de controlar devido ao seu número, cristalizam a sua superfície. As diretrizes contra os Covenant invadir a Terra, Cortana, uma inteligência artificial da UNSC nave Pilar of Autumn traça um destino aleatório e os leva acidentalmente a Instalação 04 de Halo. Os Covenant abrem fogo para a nave e um pouso forçado na superfície do anel leva a liberação dos Floods. A fim de neutralizar a ameaça, a inteligência artificial do anel, 343 Guilty Spark, pede ajuda ao Spartan Master Chief John-117. Antes da ativação do dispositivo, Cortana revela a Chief que seria a própria destruição. Master Chief e Cortana detonam os motores da Pillar of Autumn, destruindo a Instalação 04 e evitando a fuga dos Floods. Eles retornam à Terra com alguns outros sobreviventes humanos, alertando sobre um iminente ataque Covenant. Outro Anel é “descoberto” e  vira ameaça a Terra, fazendo Chief ter que salvar a humanidade ao lado de seus aliados, a Elite. Uma batalha se trava na Terra entre forças humanas, os Covenant e um exército de Floods infectados. Eventualmente, os Covenant batem retirada e fogem por um portal de “slipspace”, e os Floods são exterminados da Terra. Seguindo uma mensagem que Cortana deixou a bordo de uma nave Flood, Master Chief, o Arbiter, Elites, o sargento Johnson, a comandante Keyes e suas tropas seguem o Profeta da Verdade através do portal “slipspace”. Se junta a eles também 343 Guilty Spark, que ajuda Master Chief pois diz não ter mais função a cumprir após a destruição do anel que monitorava, a Instalação 04. Viajando através do portal, os humanos e os Elites descobrem uma imensa estrutura artificial conhecida como Ark, localizada além das bordas da Via Láctea. Os Floods invadem em massa a High Charity, “cidade sagrada” dos Covenant, e Johnson é capturado pelo Profeta da Verdade. O grupo então descobre que o Ark está construindo um novo anel de Halo para substituir o anel que Master Chief destruiu. Chief decide, então, ativar este Halo; o anel iria eliminar a infestação Flood no Ark e, ao mesmo tempo, poupar a galáxia da destruição. Para ativar o anel, Master Chief resgata Cortana, que possui o Index de ativação do Halo destruido, de High Charity.

Master Chief e o Arbiter destroem Guilty Spark, ativam o anel e fogem de sua auto-destruição a bordo da fragata UNSC Forward Unto Dawn (Caminhando ate o Amanheçer), marcando rumo à Terra. No entanto, a força da explosão do Halo fez com que o portal “slipspace” entrasse em colapso, fazendo com que apenas metade da Forward Unto Dawn, transportando o Arbiter, voltasse à Terra. Acreditando na morte de Master Chief, um memorial é construido na Terra em homenagem a todos os heróis que morreram na guerra entre humanos e Covenant. Mas mostra-se que a metade traseira da Forward Unto Dawn está na verdade flutuando a deriva no espaço, com Master Chief e Cortana a bordo. Cortana ativa um sinal de emergência e Master Chief entra em hibernação criogênica.

E é ai que aparentemente começa o primeiro halo.

Dividirei em vários posts por causa de muito conteúdo. Um beijo, um queijo e um presunto para vocês.